domingo, 3 de janeiro de 2010

“As pessoas que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós”

Disse que só escreveria para ti, mas não consigo, desculpa! Sinto necessidade de escrever de tudo, mas principalmente para ti...

Mais uma vez acordei com a chuva a bater na janela como se me pedisse para a abrir e ver o dia que estava lá fora, como se me pedisse para viver mais um dia intensamente.. como sempre acordei a pensar em ti, não me lembro se mais uma vez durante o sono revi as imagens de sempre, onde tu apareces sem qualquer nexo e falas, falas, mas nunca te consigo perceber e acabo por acordar bastante fustrada por não saber se seria importante o que terias para me dizer, se seria mais um conselho, mais uma piada ou apenas um pedido para ficar mais um bocadinho para te contar tudo....

Hoje não foi assim, acordei simplesmente a pensar em ti!

Senti que tinha tanto para te contar, mesmo tendo a noção que sabes de tudo melhor que eu, mas mesmo assim tinha de te contar aquilo que provavelmente te faria mais feliz...

Sempre desejaste entrar em casa e teres alguém a correr para ti, a correr para te abraçar, eras tão mimado, gostavas que te dissesem todos os dias que eras o maior e tal como as crianças chegavas mesmo ao ponto de perguntar “Quem é o maior, quem é?”.. eras tão previsivel, enfim.

Aquilo que idealizaste, finalmente está a tomar o seu rumo, em breve terás a casa cheia de seres pequeninos, a chorar e a correr por todo o lado... sim é mais uma menina, tal como tu gostavas! Ainda não sei como se chamará, mas como alguém disse “se ele estivesse aqui, ele escolheria.. como não está só quando a vir é que escolho”.. mais uma vez, as escolhas mais importantes seriam tuas... e mais uma vez não estas para realizares as tarefas que a ti eram destinadas, nem para veres aquilo que mais desejavas.

De certa forma aprendi a não contar contigo nos melhores e piores momentos, pelo menos fisicamente...acho que muita gente já nem se lembra que ainda existes, ou então limitam-se a mentir a elas próprias para manterem a tal imagem a que dão tanto valor. Nunca foste assim, mas conseguias socializar com elas como se nada fosse.. Por cada vez que te escrevo, vou descobrindo coisas que pensava já ter esquecido e, consequentemente, cada vez te consigo admirar mais!

Um comentário: