sexta-feira, 9 de abril de 2010

oitomeses (L)

Não posso, nem te consigo escrevre mais do que já escrevi.. torna-se humanamente impossivel encontrar outro tipo de palavras para aquilo que a nossa relação é, torna-se humanamente impossivel sentir tudo isti de outra forma, pois a verdade é que o que criamos juntos é nitidamente UNICO, sim unico, não haverá outra palavra para definir.

Lembro-me de poucas datas, mas elas tambem nao sao nada importantes, mas sim os momentos.. ai os momentos esses lembro-me de todinhos sem deixar passar em branco nenhum, impossivel tambem deixar.

Apareceste do meio do mar, enrolado numa toalha, totalmente roxo de frio e com o cabelo molhado que aprendi a adorar.. ficas tao lindo! Poderia ter passado e ignorado, como fiz com tantos outros, pois na verdade era mesmo isso que queria, ignorar-te a ti e ao resto do mundo essencialmente á especie masculina. Resolvi não o fazer, pela primeira vez em meses deixei-me guiar pelos impulsos, esses que nos traiem quando menos contamos, voltei atras e foi esse misero passo que mudou a minha vida, o meu verao, o meu outono, o meu inverno e quiça a primavera e mais um verao.
Lembro-me dos primeiros momentos, cinco minutos provavelmente, um simples “olá, tudo bem? Que fazes por aqui?”.. pergunta mais parva, verao praia, o tipico.. uma das tais perguntas que fazemos inutilmente quando a resposta esta mesmo á nossa frente.

No dia seguinte, estranhei tantas atitudes tuas, as mensagens que chegavam para mim e não para ela, o sorriso aberto que me foi dirigido, após o banho em tua casa e a forma como me tratavas, olhavas e brilhavas.. pensei que era mera confusão minha, se era eu que queria que assim fosse ou se era mesmo ilusão.

Tornamo-nos inseparaves, assim com uma lapa que se gruda em tudo, foi assim conosco.. combinamos saídas, passeamos, rimos.. começamos com as mensagens querias, a trocar preocupações e a tipica frase “my white love”/ “my black love” que ficou até hoje.

Incrivel como as nossas coisas boas permaneceram intactas ao longo deste tempo.

Mas continuando, comecei simplesmente por sentir falta de uma mensagem quando acordava, depois senti falta dos abraços, dos carinhos e de andar de mão dada contigo.. senti-me estranha, e logo eu que nunca me sinto assim e sei sempre o que sinto e porque sinto, faltava-me a racionalidade, estava a envolver-me sem poder lutar contra isso, sem ter forças para não ir por aquele caminho e sem chances de voltar atrás quando quisesse, se é que realmente queria voltar atras.

O dia um de Agosto de certa forma foi importante, jantamos todos juntos, lembro-me de estar a cantar em plena cidade e tu a dizeres que me estava a declarar (estaria mesmo sem saber?), de me protegeress de olhos mais intimidantes.

O nosso dia havia de chegar, dia nove de Agosto, aquele dia que já mais esquecerei.. apenas eu, tu e dois sacos cama. A noite estava gelada, o vento parecia que cortava e o mar tocava os pés gelando-os ainda mais mas estava bem, por incrivel que pareça sentia pela primeira vez confortavel com tão pouca coisa, sem preocupações sobre os ricos que corrimos, afinal eramos so nos no meio de tanta areia deserta, de um mar enorme e de uma noite extremamente estrelada, tipica da época.

O vento começou a gelar ainda mais, aconchegaste-me a ti para não sentir frio “não tenhas medo, não te vou fazer mal”, disseste tu.. senti-me segura no meio de tanta insegurança que seria aquela noite. Não me lembro que horas eram quando senti os teus lábios pela primeira vez, não me lembro se alguém mais nos observava pois tornei-me tao egoista que aquele momento só podia ser meu e de mais ninguém.

O dia amanheceu com a presença de muitas pessoas que por nos passavam, uns provavelmente pensariam que estavamos totalmente bebedos, outro que seriamos mendigos e, os mais cientes, que eramos apenas mais uns maluquinhos que dormiamos na paraia a tentar aproveitar a vida que nos era oferecida sem pedir nada em troca, apenas que a soubessemos viver e que desfrotassemos momentos como aqueles. Lembro-me do primeiro mergulho do dia, o frio que me gelou a espinha. Lembro-me do dia que passamos a dormir para nos recompor-mos, sempre agarrados.

O nosso dia passou, juro que não sabia como agir, como te enfrentar, nem se seria realmente para levar aserio aquilo que se havia passado, terei sido mais uma, tera sido uma unica noite ... eram tantas as dúvidas, tantas as inquietações.

Mantivemos o nosso segredo por vários dias, semanas até, os beijos esses eram escondidos, os olhares camuflados pelos sorrisos que pensavam ser para todos. Enfim, o nosso segredo, só nosso. Ha que ser egoísta.

Como ja te disse não me lembro de datas e isto deve estar uma termenda salssada mas enfim, vale a intensao e o amor.

Recebi mais um das notícias que poderia mudar a minha vida, a entrada para a universidade com alguém havia delineado para mim, para não desiludir eu concorri e lembro-me que nesse dia tu e só tu estavas. Desilusão e ao mesmo tempo felicidade por saber onde entrei, tão perto de ti e ao mesmo tempo tão longe do sonho. A vida é feita de escolhas e eu escolhi-te a ti, a nós e esqueci o sonho de uma vida.

Após isso pediste me em namoro, não sei ao certo o dia, sei que foi mesmo antes de ir, brinquei contigo e ficaste tão magoado, enfim típico teu amuaste .

Passamos por tanto e ao mesmo tempo tão pouco para quem tem uma vida pela frente, dissemos tanto e ao mesmo tempo tão pouco para quem ainda tem tanto para dizer, sorrimos e choramos tanto para quem ainda tem tantos momentos para viver. Enfim, fizemos tanto e tão pouco para quem tem uma eternidade.

Hoje, por incrível que pareça já lá vão 8 meses e eu não sei mais que te dizer para aquilo que já te disse, já não sei mais que te contar sobre nos, se tu próprio és um dos protagonistas.

São tantos meses e ao mesmo tempo tão poucos para aquilo que podemos ser, ter e fazer!

Pediste-me uma mensagem com sempre fazemos neste dia, não terás uma mensagem que sei que esperas desde que acordaste. Desculpa.

AMOTE P*****O :D


(incompleto pois ainda faltam dias, meses e anos para estar terminado)

4 comentários:

  1. Tu conheces-me gemea!
    AMO-TE (L)

    ResponderExcluir
  2. desejote tudo aquilo que nunca me desejaste. e que nao contes meses, mas anos de namoro e felicidade.





    Nunca estaras sozinha, pois sabes que ha uma pessoa que longe ou perto estara sempre la, eu.

    ResponderExcluir
  3. Fala-me de outros amores gemea , sabes que odeio presentes !
    AMO-TE (LL)

    ResponderExcluir
  4. melhor do que estas palavras so o sentimento, esta mesmo lindo!
    tambem estou a seguir :p

    ResponderExcluir